terça-feira, 21 de abril de 2009

Pulitzer, crise, deontologia & Mário Crespo

Prémios Pulitzer hoje na imprensa portuguesa: JN, DN e Público.


Tempos difíceis:
“Impala despede 20 empregados e fecha revista”, no DN.
Também no DN: “Quebra de 21,7% na publicidade”.


“Tribunal de Faro absolve jornalista do DN”, no DN.

Outra do DN: “Criação da www tornou mundo mais pequeno”.


Remate com o artigo de opinião de Mário Crespo, ontem, no JN:

A noite de sexta-feira foi frenética nas redacções por todo o país. Às 20 horas, a TVI mostrou a gravação onde Charles Smith é, pela primeira vez, visto e ouvido a descrever um acto de corrupção no licenciamento do Freeport. Um por um, jornais, rádios e TV tentaram obter comentários do gabinete do primeiro-ministro. Tornou-se clara a linha oficial de controlo de estragos dos operadores de média do Governo: nada havia de novo na transmissão da TVI, o primeiro-ministro considerava falsas as afirmações feitas no DVD e tencionava processar quem o tinha difamado.
(…) Como Bob Woodward disse, "notícia só é aquilo que alguém quer esconder. Tudo o mais é publicidade".
Há demasiada publicidade em Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário